Progresso Espiritual

Experimento de Scole

The Scole Experiment: Scientific Evidence for Life After Death, é considerado como a mais importante investigação científica de evidências de vida após a morte. 

O grupo havia se formado no início de 1993 e operado de forma completamente independente do movimento espiritualista ou de qualquer outra organização. Eles eram não-religiosos e não-sectários. Seu trabalho foi destinado a ser universal e abraçar pessoas de todas as esferas da vida, independentemente das suas crenças.

Eles se reuniam em sessões experimentais duas vezes por semana para o desenvolvimento de fenômenos paranormais físicos tangíveis e objetivos no porão de uma casa no vilarejo de Scole, região de Norfolk – Inglaterra, que se transformara em uma sala de ciência experimental.

Os experimentos realizados foram muitas vezes acompanhados por equipes de membros da Society for Psychical Research (SPR) de Londres, e renderam um extenso relatório feito pelos cientistas que acompanharam tais experimentos, comprovando a veracidade dos mesmos. O relatório foi denominado de “O Relatório Scole”.

Dentre muitos experimentos realizados, podem ser destacados, como por exemplo, o transporte de objetos (aportes), levitações, materializações, luzes paranormais, voz direta, transcomunicação instrumental em áudio e vídeo e muito mais. Tudo realizado sob fortes controles por parte da equipe de cientistas que presenciavam os experimentos.

Os dirigentes espirituais desses trabalhos informaram que a equipe consistia de milhares de espíritos, todos trabalhando em uníssono para alcançar essa prova tangível da existência de outras dimensões, e que vários deles haviam sido cientistas quando na Terra. Por meio do pioneirismo de novas formas de fenômenos paranormais tangíveis, eles procuraram provar conclusivamente, de uma vez por todas, que a morte não existe e que existem outras dimensões da existência. Essas outras dimensões estão escondidas da percepção normal pelas limitações de nossos sentidos e de nossos instrumentos científicos atuais.

Houve muitas imagens produzidas em filmes, muitas delas obtidas durante um período de luz total, inclusive retratando rostos animados. Essas imagens em movimento de “outras dimensões da realidade” eram realmente surpreendentes.

Outras vezes, a máquina fotográfica deixada em cima da mesa começava a mover-se na total escuridão da sala, podendo-se acompanhar essa movimentação pelos sons da máquina sendo acionada. Ao final da sessão, quando iam verificar o filme na certeza de nada encontrarem já que para uma fotografia é necessário haver claridade, surpreendiam-se com a grande quantidade de fotos, rostos os mais diversos, outras estranhíssimas, que haviam sido tiradas. Certa vez, os espíritos informaram que determinada foto era de um senhor falecido há alguns anos, e deram nome e endereço. Os pesquisadores foram investigar e encontraram a filha do falecido que reconheceu o pai na foto, ficando muito emocionada, como seria de se esperar.

Com o passar do tempo e o fascinante progresso dos mais diversos experimentos, o grupo resolveu publica-los em livro, tendo em vista a importância de um público mais amplo tomar conhecimento do Experimento de Scole, já que tinha implicações de longo alcance para todos, entendendo que “isso poderia mudar a forma como vemos coletivamente a natureza da própria vida”. E não se esqueceram de recomendar aos leitores para suspenderem todos os preconceitos durante essa leitura.

O Scole Experiment tornou-se amplamente considerado como a mais importante investigação científica de evidências de vida após a morte. Cientistas altamente qualificados e objetivos, e toda uma gama de outras pessoas que participaram das sessões do Scole Group, com experimentos que duraram 5 anos, e 500 sessões, num total de 1000 horas, em vários locais e em diversos países, saíram convencidos de que invisíveis inteligências desencarnadas (espíritos) estavam fazendo contato direto com os presentes.

Portanto, é compreensível que a primeira edição desse livro, publicado no Reino Unido em 1999, com o título: The Scole Experiment: Scientific Evidence for Life After Death, tenha gerado uma grande discussão na mídia nacional e local.

Se a evidência é aceita, a implicação é simples: nós, seres humanos, realmente sobrevivemos ao evento da morte de alguma forma consciente.

Uma nova e esperada edição de 2006 incluiu uma atualização sobre o fascinante progresso dos experimentos contínuos envolvendo os médiuns do Scole.

O Experimento da Scole “Evidência Científica para a Vida após a Morte”, apresenta os 5 anos e 500 sessões de experimentos para o leitor em geral, e tão “importante para a ciência”, em três livros: https://www.thescoleexperiment.com/ , e com imagens, descrições e análises, num documentário cinematográfico de 86 minutos no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=6qSEi_sfaSU&t=2438s em inglês.

Rolar para o topo